Lancha Poveira

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Lancha Poveira

Teaser Oficial do documentário "Os braços da lancha"

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Dim lights Embed Embed this video on your site

WOW Filmes

A “Fé em Deus” é uma embarcação de pesca tradicional de origem secular. Em 1991 foi reconstruída uma replica segundo normas e modelos tradicionais e representa uma das últimas lanchas poveiras a ir ao mar.

O início da construção deu-se a 27 de Fevereiro de 1991 seguindo o sonho de Manuel Lopes um Poveiro amante da cultura e muito respeitado pela população. É desde então a embarcação tradicional portuguesa que mais navega por mar, promovendo a memória do pescador poveiro e português. Em 2012 a mesma embarcação persegue outro dos seus sonhos, rumo à Galiza fazendo aquele que é considerado o primeiro Caminho Maritimo para Santiago de Compostela. O sonho de Manuel Lopes é agora o sonho destes 17 tripulantes que na primeira pessoa contam a sua relação com a Lancha Poveira.

The "Faith in God" is a traditional Povoan fishing boat of secular origin. In 1991 a replica was rebuilt according to norms and traditional models and represents one of the last Povoan traditional fishing boats to go overboard.

The start of construction took place at February 27, 1991 following the dream of the Povoan Manuel Lopes, a lover of culture and well respected by the population. It is the traditional Portuguese boat that navigates more by sea, promoting the memory of the Povoan and Portuguese fisherman. In 2012 the same boat chases another of his dreams, toward Galicia doing what is considered the first Sea Route to Santiago de Compostela. The dream of Manuel Lopes is now the dream of these 17 crew members, that tell their relationship with the Povoan boat in the first person.

 

Documentário sobre a Lancha estreou no Garrett

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

DOCUMENTÁRIO SOBRE LANCHA POVEIRA ESTREOU NO GARRETT

Póvoa de Varzim, 16.06.2015 (link)

No âmbito das comemorações do Dia da Cidade que hoje se assinala, foi exibido, ontem à noite, no Cine-Teatro Garrett, o documentário "Os Braços da Lancha".

O filme é assinado por Manuel Martins, José Peixoto e Paulo Pinto. O caminho marítimo até Padrón, Santiago de Compostela, realizado em julho de 2012, foi a divisa que abriu o cenário e deu origem ao Documentário.

A plateia do Garrett encheu-se de poveiros que não quiseram perder a oportunidade de assistir a esta estreia. Destaque para a presença do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, e do Vice-Presidente, Luís Diamantino.

Manuel Martins, José Peixoto, Manuel Costa, bem como o mestre e toda a tripulação da Lancha Poveira estiveram presentes. Veja a fotogaleria.

Levar por mar a Lancha Poveira “Fé Em Deus” até Santiago, era um velho sonho de Manuel Lopes antigo diretor da Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim. O seu desaparecimento em agosto de 2006, levou o mestre Agonia Areias e a sua tripulação a reunir as vontades com o atual director da Biblioteca Manuel Costa, no sentido de efetuar a viagem. O projeto foi amadurecendo e com o apoio incondicional da Câmara Municipal o sonho de Manuel Lopes tornou-se realidade.

 

Apresentação do Filme Documental "Os braços da lancha"

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Apresentação do Filme Documental "Os braços da lancha"
No Cine-teatro Garrett
Dia 15 de Junho 2015, 21h30

Os Braços da Lancha
José Peixoto

“Os Braços da Lancha” documenta uma viagem por mar, ria e rio, até Padrón, Santiago de Compostela, na Galiza. Mas acima de tudo é uma homenagem a todas as pessoas que de uma forma ou de outra colaboraram e colaboram para tornar navegáveis as palavras de Manuel Lopes: Há-de a Lancha ser a escola.

A escola da memória
A Lancha Poveira do Alto é um barco de boca aberta, de quilha, roda de proa e cadaste. Arma uma grande vela de pendão de amurar à proa. Como não dispõe de patilhão, um leme alteado assegura essa função. A “Fé em Deus” foi reconstruída segundo normas e modelos tradicionais locais e representa uma das últimas lanchas poveiras a ir ao mar na década de cinquenta do século passado.

O início da construção deu-se a 27 de Fevereiro de 1991, com o levantamento da quilha no picadeiro e o bota-abaixo a 15 de Setembro do mesmo ano. Está por isso a cominho de completar 24 anos.

O sonho de voltar a ver a Lancha Poveira a navegar sempre se achou na memória de velhos pescadores, mas a ideia da sua reconstrução deve-se a Manuel Lopes, na altura, director do Museu Municipal de Etnografia e História e da Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim, que lança o repto no início dos anos oitenta do século passado. Alberto Marta e Silva Pereira, à data Presidentes do Clube Naval Povoense e da Assembleia Geral, também se envolveram e apoiaram incondicionalmente o projecto.

Fazer por mar com a Lancha Poveira o caminho até Santiago de Compostela, foi sempre uma vontade adiada de Manuel Lopes. Com o seu desaparecimento em Agosto de 2006, o actual director da Biblioteca e coordenador do projecto Lancha Poveira do Alto Manuel Costa, mestre Agonia Areias e a sua tripulação, deram corda ao ausente e reunidas as vontades, com o apoio incondicional da Câmara Municipal, concretizaram o sonho em Julho de 2012. Com o objectivo de documentar a viagem da “Fé Em Deus”, Manuel Martins e José Peixoto recolheram as imagens, os sons e as palavras, e com Paulo Pinto realizaram o Documentário “Os Braços da Lancha”.

Os Braços da Lancha (Tripulação)
Mestre Agonia Areias, Carlos Flores, Vitor Castro, José Ferreira, Bruno Ferreira, Agostinho Martins, José Peixoto, Victor Fernandes, Vitoriano Ramos, João Castro, Ricardo Ferreira, Abraão Cruz, António Fangueiro, Francisco Rosa, Manuel Mata, Carlos Teixeira e João Pereira.

Um filme de: Manuel Martins, José Peixoto, Paulo Pinto
Produção: Manuel Martins
Imagens de: Manuel Martins, Paulo Pinto, Rita Rocha
Edição: Paulo Pinto, Manuel Martins
Som: Pedro Balazeiro
Música: José Peixoto, Tiago Pereira, Colectivo Silêncio da Gaveta
Poemas: João Rios, ANtónio Nogre, Intrepretação (Aurelino Costa)
Ilustração: Arménio Torres
Design: Pedro Bolito
Apoio: Câmara Municipal da Póvoa de Varzim

 

Comemoração do Dia do Pescador | Artes & Ofícios

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Comemoração do Dia do Pescador 
Artes & Ofícios
Encontro com... o Mestre Manuel Vareiro

No dia 31 de Maio comemora-se o Dia do Pescador.

O Dia do Pescador foi instituído no ano de 1997, por decreto governamental com o objetivo de reavivar um setor com uma importância fundamental para o país.

Para assinalar esta data, a Biblioteca Municipal Rocha Peixoto, em colaboração com a FOR-MAR, Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar - Pólo de Póvoa de Varzim /Vila do Conde promove a iniciativa Artes & Ofícios, com o Mestre Manuel Fernando Vareiro e quatro formados do Curso de Pescador - Obtenção de Cédula Marítima para darem a conhecer a faina da pesca, a vida do pescador, os apetrechos marítimos, as embarcações de pesca e os vários tipos de redes de pesca.

Os formandos participantes são: Maria da Assunção Maio Pereira, Paula Marisa Moreira da Silva, Paulo Sérgio Fangueiro Terroso e Igor André da Costa Lopes.

Nesta sessão direcionada para o público infanto juvenil vão ser exemplificadas a confecção de diferentes artes de pesca, demonstrando várias "armadilhas" de captura e as várias redes na pesca. Também serão partilhadas as experiências e as motivações para a profissão de pescador.

Dia 29 de Maio, sexta-feira, 15h00

Na Biblioteca Municipal

 

A Lancha Poveira do Alto no VII Encontro de Embarcações Tradicionais de Esposende - Rio Cávado 2015

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

A Lancha Poveira do Alto vai participar no VII Encontro de Embarcações Tradicionais de Esposende – Rio Cávado 2015.

O evento a decorrer de 29 a 31 de Maio, no estuário do Rio Cávado conta com dezenas de embarcações de várias zonas do país e da vizinha Galícia.

O Programa integra um desfile de embarcações tradicionais nas manhãs de sábado e de domingo e passeios a bordo de algumas embarcações.

No domingo, depois do almoço de confraternização entre as tripulações, há a entrega dos diplomas de participação aos mestres e responsáveis por cada uma das embarcações participantes.

Esta é a 1ª viagem da Lancha Poveira e da tripulação após ter estado vários meses no Estaleiro para reparações profundas no casco e depois de ter recebido o renovado material de segurança que permite efetuar viagens cumprindo todos os requisitos legais.

 

PROGRAMA
VII Encontro de Embarcações Tradicionais de ESPOSENDE
- Rio Cávado 2015

Dia 29 de maio
17h00 | 20h00 - Chegada das embarcações
20h30 - Jantar no Colégio D. Pedro V 
21h30 - Sessão de boas vindas que inclui vídeo do VII Encontro de Embarcações

Dia 30 de maio
9h00 | 10h00 - Recepção às embarcações e entrega de acreditações às tripulações 
10h00 | 13h00 - Desfile de embarcações tradicionais no estuário do Rio Cávado
Passeios a bordo das embarcações tradicionais.
Local de embarque, a partir das 11h00: Cais junto ao Centro de Atividades Náuticas
13h30 - Almoço 
16h00 - “Conhecer Esposende: roteiro de visita com degustação de produtos locais” 
20h00 - Jantar 
21h30 - Tertúlia no Centro de Atividades Náuticas

Dia 31 de maio
10h00 | 13h00 - Desfile de embarcações tradicionais no estuário do Rio Cávado
14h00 - Almoço e entrega de diplomas

De 29 a 31 de Maio 2015
Esposende - Rio Cávado 2015

 

DIA NACIONAL DO MAR - Póvoa de Varzim

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

O Dia Nacional do Mar é uma data comemorativa da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), que entrou em vigor a 16 de Novembro de 1994, tendo sido ratificada por Portugal a 14 de Outubro de 1997. Um ano mais tarde, em 1998, o dia 16 de Novembro foi institucionalizado pela Resolução de Conselho de Ministros n.º 83/1998, de 10 de Julho, como o Dia Nacional do Mar.

No âmbito do Dia Nacional do Mar, a nível local, serão promovidas algumas iniciativas, abrangendo vários eixos de programação, dirigidos a diferentes público-alvo, no sentido de reforçar as raízes culturais marítimas, aproximando a ligação passada, presente e futura de Portugal ao Mar, no contexto do património marítimo poveiro.

- O MAR em versos
Leituras Alcino Santos
Guitarra José Peixoto
14 de Novembro, sexta-feira, 15h
Biblioteca Municipal Rocha Peixoto - Póvoa de Varzim

“O mar em versos” navegado, não é mais que uma viagem pelos mares da aventura e do medo, mar português, poveiro, universal. António Gedeão, Ary dos Santos, Eugénio de Andrade, José Régio, Luísa Dacosta, Manuel Alegre, Miguel Torga, Sofia de Mello Breyner, são os poetas que oferecem o mar dos seus poemas para que em onda sonora criada pela guitarra de José Peixoto, possam navegar na voz de Alcino Santos.

- Conhecer o Mar - Mostra de livros
14, 15, 16 de Novembro
Diana-Bar

- Conferência "Os desafios do Mar"
Dr. Miguel Marques, Partner da PwC
17 de Novembro, segunda-feira,  18h
Biblioteca Municipal


 

4º Encontro RNCMeR e Dia Nacional do Mar em Esposende

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Ver pdf ->

O Município de Esposende vai assumir a presidência da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios (RNCMR) Secção de Geografia dos Oceanos da Sociedade de Geografia de Lisboa, no biénio 2014/2016, tomando posse na Mesa desta Rede no Dia Nacional do Mar, 16 de novembro (Domingo).

Para assinalar o inicio desta presidência vai também realizar o 4º Encontro da RNCMR, desta feita dedicada ao inédito projeto de Lei –Libertação da Via da Água, que pretende um regime de excepção para as embarcações tradicionais portuguesas.

O Município de Esposende já trabalha internamente os assuntos do património e cultura em rede, através da Rede de Museus do Mar de Esposende (Museu Municipal de Esposende e Museu Marítimo de Esposende), criada em 2013 e que articula a difícil gestão de tutelas privadas e tutelas municipais. Neste âmbito o Município considera o oceano Atlântico e os rios Neiva e Cávado os verdadeiros motores económicos do concelho e assume a sua mais valia geoestratégica, histórica, cultural e social. Pretende que durante a sua vigência na presidência da RNCMR possa promover estas boas práticas também nas comunidades de concelhos vizinhos, estabelecendo pontes culturais, dinâmicas e inovadoras, em torno da cultura costeira e do património marítimo e naval.

A Jornada dedicada à “Libertação da Via da Água” é presidida pelo grande entusiasta da defesa e divulgação do património naval português, o Prof. Dr. Fernando Carvalho Rodrigues, ele próprio Arrais de uma embarcação Tradicional do Rio Tejo, e vai decorrer das 14.30h às 17.00h no Museu Marítimo de Esposende.

O Museu Marítimo de Esposende está  instalado na velha estação local de Socorros a Náufragos do ISN (Casa do Salva-vidas, 1906) junto ao rio Cávado, e é tutelado pela Associação Forum Esposendense, ela própria proprietária de uma das mais emblemáticas embarcações tradicionais do Norte de Portugal, a catraia de Esposende.

A Catraia de Esposende é uma catraia grande da tipologia poveira, oriunda da primitiva comunidade sardinheira de Esposende, que remonta ao séc. XVIII, e é uma réplica navegante da última catraia, extinta em 1959, de nome “Santa Maria dos Anjos”,  inaugurada por tradicional “bota-abaixo” em 19 de Agosto de 1993, com o mesmo nome da antecessora, e que tem sido a verdadeira embaixadora da cultura marítima e fluvial de Esposende, motivo para ser escolhida pela Direção de Filatelia dos Correios de Portugal para o carimbo comemorativo do Dia Nacional do Mar.

O Carimbo evocativo do Dia Nacional do Mar, por gentileza da Direção de Filatelia e da Sociedade de Geografia de Lisboa, será apresentado em Esposende, para filatelistas e publico em geral, no dia 16 de Novembro (domingo) no edifício dos Paços do Concelho do Município de Esposende, na Estação de Correios ad hoc que aí funcionará das 10.00h às 12.00h.

A inscrição é gratuita mas obrigatória.
Basta enviar resposta a este E-mail: museu.esposende@cm-esposende.pt  ou museumaritimo@forum-esposendense.pt ou ainda presidencia.rncmr@cm-esposende.pt

 

4º encontro da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Os Presidentes da Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL) e da Câmara Municipal de Esposende (CME) têm a honra de convidar V. Ex.ª e sua Ex.ma Família para participarem numa jornada comemorativa do Dia Nacional do Mar de 2014 e no IV Encontro da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios 2014 (Esposende), sob o tema “A Libertação da Via da Água”.

 

3º Encontro da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Rede dos Mares e Rios: encontro na Póvoa

A Biblioteca Municipal foi o local anfitrião do 3º Encontro da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios, no dia 30-05-2014.

Luís Diamantino, Vice-Presidente da Câmara Municipal e Vereador do Pelouro da Cultura, abriu oficialmente os trabalhos que assinalaram o encerramento do período, de dois anos, em que o município da Póvoa de Varzim presidiu à Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios. “E o trabalho feito – que incluiu exposições, lançamento de livros, atividades do serviço educativo e uma quantidade apreciável de eventos, e que, entre 2012 e 2014, envolveu cerca de 5500 pessoas de todos os escalões etários”, afirmou o autarca.

“Somos internacionalmente conhecidos como um país de marinheiros, por efeito da ação daqueles que, sobretudo nos séculos XV e XVI. No mar nos mantivemos alguns séculos, ligando-nos às comunidades que dominávamos nos vários continentes e com as quais estabelecemos relações culturais a par de uma deficiente exploração comercial das riquezas aí produzidas, que pelo mar circulavam, animando o comércio internacional de que outros se aproveitaram mais que nós”.
Luís Diamantino lembrou que “a atividade pesqueira, na costa e ao largo, fez dos portugueses o povo que mais peixe consome em toda a União Europeia”. Sobre as vertentes locais que interessam à Rede Nacional, o Vice-Presidente sublinhou que “esta relação, naturalmente se concretiza de modo diferente, e com escalas diferentes, em cada um dos nossos municípios”.

“A entrada da nossa barra foi, ao longo dos séculos, medonha, tantos eram os naufrágios que ali ocorriam e que semeavam o luto e a dor na colmeia piscatória. Era uma relação de necessidade e de medo, a que a população, à falta de alternativas, se resignava. A construção do porto de pesca, em meados do século passado, veio suavizar e tornar mais próxima a relação do pescador (e, em geral, do poveiro) com o seu mar. A nova construção naval e a tecnologia nela aplicada ajudaram consideravelmente ao crescimento da segurança – quer na faina, quer na chegada a terra. Restava, ciclicamente, o assoreamento da barra e o reforço da segurança dos molhes, muito fustigados quando o mar lhes batia impiedosamente”, explicou Luís Diamantino.

Neste encontro foi ainda eleita a presidência da mesa para o biénio 2014-2016 - o Município de Esposende.

Veja a fotogaleria.
 


Pág. 1 de 20

Pesquisar

cmpv.jpg
cartaz_20_anos.jpg
lancha002.jpg

Em linha

Temos 12 visitantes em linha

Estatísticas

Membros : 13
Conteúdo : 276
Favoritos web : 49
Visualizações de conteúdos : 218598

Sindicância