Lancha Poveira

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Rede Cultura do Mar RNCM
RNCM

Agenda do Oceano - 1 de Dezembro 2012

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Agenda do Oceano 1 de Dezembro 2012

Sociedade de Geografia de Lisboa - Secção de Geografia dos Oceanos

Sociedade de Geografia de Lisboa ->

 

Agenda do Oceano - 15 de Agosto 2012

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Agenda do Oceano 15 de Agosto 2012

Sociedade de Geografia de Lisboa - Secção de Geografia dos Oceanos

Sociedade de Geografia de Lisboa ->

 

Jornada comemorativa do Dia Europeu do Mar

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

O Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL), o Diretor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/Nova), o Presidente do Fórum Empresarial da Economia do Mar (FEEM) e o Presidente da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Regional (APDR) têm a honra de convidar V. Ex.ª e sua Ex.ma Família para participarem na Jornada comemorativa do Dia Europeu do Mar, sob o tema “Crescimento sustentável dos oceanos, mares e costas: crescimento azul” a realizar na sede da SGL (Rua das Portas de S. Antão, 100, em Lisboa) no dia 21 de maio de 2012 (2.ª feira), com início às 09h30.

Para saber mais clique aqui

 

Declaração de Nazaré

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Rede da Cultura do Mar

Nazaré, 11.06.2002

«É a voz da terra ansiando pelo mar»
(Fernando Pessoa, Mensagem)

1 – Considerando que

- o mar ocupou sempre um espaço muito importante na cultura portuguesa, influenciando fortemente a vida das gentes e da história nacional;
- o povo marítimo português constitui um dos mais e originais núcleos humanos que soube conservar, até aos nossos dias, os múltiplos tipos de embarcações, as numerosas espécies de aparelhos de pescar, a riqueza léxica e os estilos de trabalhar das comunidades costeiras que produziram riqueza e valores culturais de grande interesse para a humanidade;
- o património marítimo, isto é, os sítios marinhos naturais, os locais e equipamentos de produção, os conhecimentos adquiridos e transmitidos, de pintar, de cantar, de falar… e mesmo de pensar, deixaram (quase) de pertencer ao quotidiano, mesmo que imaginário, de um poço que na sua história se reconhece no mar;
- a faina da construção naval e de pesca, tão diversa e curiosa através das várias zonas do nosso litoral e nas margens dos nossos rios, representou – pela multiplicidade de aspectos, riqueza de cor, vibração humana e graciosidade plástica – um dos mais belos espectáculos a que se pôde assistir em toda a costa portuguesa;
- a salvaguarda e valorização dos bens culturais marítimos, hoje mais do que nunca, torna-se uma questão prioritária, uma vez que as ultimas medidas da CE em relação ao abate das embarcações e das artes tradicionais de pesca, virão acabar com a continuidade de um património etnológico que se espalhava, em estilos diferentes, por todo o litoral Português;
- a salvaguarda da cultura marítima, hoje só será possível com um trabalho articulado entre todas as instituições públicas e privadas, e de todos os cidadãos que, individualmente, se interessem por este tipo de património, incluindo construtores navais, mestres e arrais, pescadores, enfim, todos os marítimos.

CRIA-SE A REDE DA CULTURA DO MAR

Continuar...
 

Comemoraçóes do Dia Nacional do Mar 2002

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
AddThis Social Bookmark Button

Comemorações do Dia Nacional do Mar 2002
14 e 16 de Novembro de 2002


 


Programa (pdf)

 

– A Declaração da Nazaré, de 11 de Maio de 2002, manifesto de um grupo de cidadãos portugueses que, ciente da perenidade da influência do mar na cultura portuguesa e preocupado com a prioridade de salvaguardar e valorizar o património marítimo, cujo sucesso só será possível com um esforço concertado que envolva instituições, públicas e privadas, e associações cívicas e cidadãos interessados, propôs a criação da rede da cultura do mar, enunciando os seus objetivos, natureza dos aderentes, processo comunicacional e requisito de avaliação periódico.

–  As jornadas “A Sociedade Civil e o Mar” da Sociedade de Geografia de Lisboa:

(a)   Entre 2002 e 2004, concedeu-se uma abordagem mais ampla às celebrações locais do Dia Nacional do Mar para estimular o contacto da comunidade com a realidade marítima que lhe é familiar, por estar mais próxima, e com o respectivo contexto cultural, cujo conhecimento pode contribuir para a educação ambiental, o enriquecimento da cultura científica e a consciencialização cívica. Nas relações intracomunitárias, procurou-se privilegiar o fluxo de informação em rede e a sua interligação informal a outras comunidades; reconheceu-se, que só com uma constelação de redes locais seria possível, por exemplo, estabelecer uma rede da cultura do mar, cuja implantação foi abordada no Encontro dos Museus do Mar de 14 de Novembro de 2002 e que decorreu da Declaração da Nazaré.

Sociedade de Geografia de Lisboa - Prólogo do 2.º Encontro da Rede Nacional da Cultura do Mar [em linha]. [consultado em 26.04.2011]. disponível em http://www.socgeografialisboa.pt/

 


Pág. 2 de 3

Pesquisar

cmpv.jpg
cartaz_20_anos.jpg
bota_abaixo001.jpg

Em linha

Temos 8 visitantes em linha

Estatísticas

Membros : 37
Conteúdo : 289
Favoritos web : 49
Visualizações de conteúdos : 543496

Sindicância