Os Braços da Lancha - João Castro

Versão para impressão
AddThis Social Bookmark Button

Os Braços da Lancha
por José Peixoto

João Castro nasceu na Casa dos Pescadores da Póvoa de Varzim, em 1954, e o mar chamou-o aos 11 anos de idade. “O meu pai tinha uma motora, e como havia falta de tripulantes saiu-me em sorte ser pescador, embora não eu gostasse. Aos 24 anos fui o mestre mais jovem da embarcação. Também andei dois anos ao bacalhau, nos finais dos anos 70. Era já o tempo das bateiras, da pesca à rede e do arrasto.

Com o iodo metido no corpo, o mar enraizou-me e andei por lá uma vida. Fui pescador, arrais de pesca local, contramestre, mestre costeiro e mestre do largo, que é o máximo da mestrança. Fruto da experiência que angariei no mar, acabei a pilotar navios comerciais e de turistas”.

A primeira vez na lancha poveira aconteceu por convite do mestre Agonia Areias, em 2004, numa viagem à Galiza: “ Saímos com o vento de noroeste, que foi rodando para sudoeste. Sempre à vela com um mar ameaçador, mas a “Fé em Deus” respondia a todas as solicitações e mantinha-se firme.

Foi uma viagem um bocado atormentada com a lancha a erguer e a espalmar na onda seguinte. Aconteceram alguns enjoos”. E acrescenta: “fomos calorosamente recebidos pela organização do encontro de embarcações tradicionais. Com o tempo que estava, pensaram que acabaríamos por arribar a Fé em Deus” em qualquer porto”.

A Voz da Póvoa (22 Agosto 2012), p. 15.

URL ->PDF ->